O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 29 de março de 2008

A Fraternidade da Rosa-Cruz

O Encoberto

Que símbolo fecundo
Vem na aurora ansiosa?
Na Cruz morta do Mundo
A Vida, que é a Rosa.

Que símbolo divino
Traz o dia já visto?
Na Cruz, que é o Destino,
A Rosa, que é o Cristo.

Que símbolo final
Mostra o sol já desperto?
Na Cruz morta e fatal
A Rosa do Encoberto.



Convido-vos a lerem, através do link abaixo, o 4ºManifesto da Antiga e Mística Ordem da Rosa-Cruz.
Muitas das suas posições são bastante semelhantes, e algumas até idênticas, ao ideal agostiniano.

http://www.amorc.org.br/manifesto.pdf


«Pouco importam as ideias políticas, as crenças religiosas, as convicções filosóficas de cada um. Os tempos não estão mais para divisão, qualquer que seja sua forma, mas para união; para a união das diferenças, a serviço do bem comum. Nisso, nossa Fraternidade conta em seu quadro com cristãos, judeus, muçulmanos, budistas, hinduístas, animistas e mesmo agnósticos. Reúne também pessoas que pertencem a todas as categorias sociais e representam todas as correntes políticas clássicas. Homens e mulheres nela têm um status de total igualdade e cada membro goza das mesmas prerrogativas. É essa unidade na diversidade que faz a pujança do nosso ideal e da nossa egrégora. Assim é porque a virtude que mais prezamos é a tolerância, isto é, precisamente, o direito à diferença. Isto não faz de nós sábios, pois a sabedoria abrange muitas outras virtudes. Consideramo-nos antes filósofos, ou seja, literalmente, “amantes da sabedoria”.»

7 comentários:

Ana Margarida Esteves disse...

Nao era o "nosso" Agostinho um Macom Templario?

Pelos menos foi o que uma vez li mun texto do Adelino Maltez.

João Beato disse...

Ainda não conheço as eventuais relações de Agostinho com o misticismo...
De qualquer das formas, como membro, deixo-vos a ligação, www.amorc.org.br, onde estão as informações para os que eventualmente possam estar interessandos em fazer parte desta Franternidade, que é sobretudo uma forma de espiritualidade. Há algumas outras organizações que se identificam como rosacruzes, mas só uma é chamada "Antiga e Mística Ordem da Rosa-Cruz" (AMORC). Certamente que moldar o nosso futuro conforme os nossos desejos se relaciona com o nosso serviço à Humanidade e não com egoísmos; é tudo uma questão de maturidade espiritual.
No interior do site da Grande Loja da Jurisdição de Língua Portuguesa poderão encontrar as informações sobre as Lojas de Lisboa e do Porto.

É a Hora!

Valete, Fratres.

João Beato disse...

Gostaria de deixar bem claro que a Ordem da Rosa Cruz é iniciática mas não é secreta, como alguns poderão ter pensado; ela actua abertamente em benefício de todos os que se interessarem pelos seus estudos. Também não é Maçonaria, são duas organizações independentes.
joaobeato@hotmail.com

João Beato disse...

Francofonia, aqui, mil vezes melhor do que Lusofonia... www.rose-croix.org
Sentimentos confusos, não era esse o objectivo... Esclareçamo-nos devidamente.

Roba...linha disse...

Nado em volta do anzol...
Será o meu?

Anónimo disse...

Tudo tem um sentido, nada vem ao acaso, muito menos neste blogue...

Paulo Borges disse...

Ama quem te crucifica: serás a ressurrecta Rosa que brota do centro da Cruz.