O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 31 de março de 2008

Olá, como estás companheira?

Olá, como estás companheira?
Anda, vem-te sentar
Senta-te à minha beira
Temos tanto para falar.

Companheira, então, que me contas?
Que tens tu aprontado?
Temos as malas já prontas?
Ou está tudo desarrumado?

Calma, estou na brincadeira
Espera, não te vás embora
Vá... senta-te à minha beira
Conta-me coisas agora:

"O que queres que te diga?
Que vimos um mundo a dois?
Toma o meu beijo, amiga
Hmm... abres os olhos depois."

2 comentários:

Anónimo disse...

simples mas bonito, engraçado...

companheira disse...

"Eu estou bem. E tu ? Apenas me custa a sair da ficção e ganhar vida plena, à luz do sol. Mas com jeito, vai !"