O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 27 de março de 2008



"Todas as pessoas têm a sua própria estrada viva para o céu. Até que caminhem nessa direcção, são como bêbados que não sabem dizer qual e o caminho.
Então, quando começam a caminhar nesta estrada e deixam para trás a sua confusão, é com eles a escolha do caminho a tomar - já não estão sujeitos às orientações arbitrárias dos outros."

Mestre Zen Mi-An

10 comentários:

Ana Moreira disse...

Afinal é verdade, todas as estradas vão dar a Roma.

Oriana disse...

Todas as estradas vão dar a nós...

Ana Moreira disse...

Nós, é só uma rotunda onde nos encontramos vindos de muitos e diversos lugares. Follow the yellow brick road!

o obscuro disse...

Diria mais: Toda a «Roma» é Amor.

Inquieta disse...

Estando ébria não sei onde é que as estradas vão dar ... e, hoje, estou ébria ... perdi-me ... nem sei o que digo ... a sério, estou mesmo !

Ajuda-me, Oriana !


"Entre o luar e a folhagem,
Entre o sossego e o arvoredo,
Entre o ser noite e haver aragem
Passa um segredo.
Segue-o minha alma na passagem.

Ténue lembrança ou saudade,
Princípio ou fim do que não foi,
Não tem lugar, não tem verdade,
Atrai e dói.
Segue-o meu ser em liberdade.

Vazio encanto ébrio de si,
Tristeza ou alegria o traz?
O que sou dele a quem sorri?
Nada é nem faz.
Só de segui-lo me perdi."

Inquieta disse...

Pensando melhor, nada que um belo balde de água fria não resolva! Deixa lá Oriana!

Padre Borgas disse...

É no que dá ir à tasca do Tizé...

Eu disse...

Com todas estas palhaçadas de trocas de "identificação" e total falta de respeito pelos outros por que razão não mudam o letreiro da porta para algo mais simplório? Por exemplo: "Aqui há circo"?

Mais um espaço que tresanda a "humanidade"... Com Budismo ou sem ele!

Ana Margarida Esteves disse...

APOIADÍSSIMO!!!!!

Ana Margarida Esteves disse...

No entanto, "eu", estás a cair exactamente na mesma esparrela ...