O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 30 de março de 2008

Vaishnava Janato (Narasinh Mehta) - Em memoria de Mahatma Ghandi

Esta era a oracao favorita de Mahatma Ghandi.
Quem sabe se ela nao concentra a essencia da "libertacao" que nos tao ardentemente procuramos?
Aqui esta uma interpretacao magnifica no filme "Water" de Deepa Mehta:
http://www.youtube.com/watch?v=PGSf5SIWi1E 
Vaishnav jan to tene kahiye je         
[One who is a vaishnav]            
PeeD paraayi jaaNe re         
[Knows the pain of others]          
Par-dukhkhe upkaar kare toye         
[Does good to others, esp. to those ones who are in misery]           
Man abhimaan na aaNe re         
[Does not let pride enter his mind]          
Vaishnav...                  
SakaL lok maan sahune vande         
[A Vaishnav, Tolerates and praises the the entire world]          
Nindaa na kare keni re         
[Does not say bad things about anyone]          
Vaach kaachh man nishchaL raakhe         
[Keeps his/her words, actions and thoughts pure]          
Dhan-dhan janani teni re         
[O Vaishnav, your mother is blessed (dhanya-dhanya)]                  
Vaishnav...          
Sam-drishti ne trishna tyaagi         
[A Vaishnav sees everything equally, rejects greed and avarice]           
Par-stree jene maat re         
[Considers some one else's wife/daughter as his mother]         
Jivha thaki asatya na bole         
[The toungue may get tired, but will never speak lies]         
Par-dhan nav jhaalee haath re         [
Does not even touch someone else's property]         
Vaishnav...          
Moh-maaya vyaape nahi jene         
[A Vaishnav does not succumb to worldly attachments]         
DriDh vairaagya jena man maan re         
[Who has devoted himself to stauch detachment to worldly   pleasures]         
Ram naam shoon taaLi laagi         
[Who has been edicted to the elixir coming by the name of Ram]         
SakaL tirath tena tan maan re         
[For whom all the religious sites are in the mind]         
Vaishnav...          
VaN-lobhi ne kapaT-rahit chhe         
[Who has no greed and deciet]         
Kaam-krodh nivaarya re         
[Who has renounced lust of all types and anger]           
BhaNe Narsaiyyo tenun darshan karta         
[The poet Narsi will like to see such a person]          
KuL ekoter taarya re         
[By who's virtue, the entire family gets salvation]         
Vaishnav... 

6 comentários:

Lord of Erewhon disse...

Desculpa lá, mas fiquei atrofiado! Isso ficou com um desenho que mais parece um mantra para anjos estrábicos! :)

O Ghandi é fácil de perceber: um cristão disfarçado; um produto refinado do colonialismo branco! :)=

E prontos!
Dark kiss.

P. S. Acho que o 4º round vai ser o Budismo - mas hoje já não combato, vou descansar as meninges.

Ana Margarida Esteves disse...

Corrigido.

Postei isto num Mac, não me dei conta que ficaria com essa disposição quando lido num PC.

Ghandi um Cristão disfarçado? Talvez. Qual é o problema se assil for? Não há quem chame a Cristo a "Estrela da Manhã" que tu tanto adoras?

Não somos todos nós produtos refinados de um qualquer tipo de colonialismo? Eu reconheço que, não obstante o remar freneticamente contra a maré da aculturação no "American Way of Life" (o stress que essa luta inglória me causa é bem visivel neste blogue), tornei-me uma viciada em panquecas de maçã com "maple sirup" ao pequeno almoço e acho as "hooded sweaters" com logotipos da universidade super confortáveis. Embora nunca me atreva a passear nas ruas de Lisboa em tal figura, confesso que se há vestuário em que eu me sinto confortável e "eu mesma" é com uma dessas "hoodies", calças de ganga, sapatilhas e um boné de basebol sobre o cabelo em rabo-de-cavalo (que me desculpem os cavalheiros que tinham uma imagem mais glamourosa da minha pessoa).

OOOOOOOUUUUUUCH, estou desgraçada:P!

Deixa-te mas é de preconceitos religiosos, ó Lord/Klatuu, e vê o filme "Water", que é uma obra-prima e pode ser alugado em DVD em qualquer clube de vídeo minimamente decente em Portugal.

Anjo Estrábico disse...

Ó Ana, és mesmo pau-mandado, pah! Agora não conseguimos ler o poema!

Klatuu o embuçado disse...

Gostei mais da primeira versão, essa ainda me disse alguma coisa, esta só me sabe a charopada new age avant la lettre, com aquele odor a cadáver a boiar no Ganges devorado pela cólera.

Dark kiss.
P. S. Pior que um cristão disfarçado, só mesmo um cristão.
E deixa lá o astro, que os orbes não são culpados da cegueira humana.

Klatuu o embuçado disse...

P. P. S. Eu só sou produto da Monarquia... :)

Ana Margarida Esteves disse...

Klattuzinho/Lordinho, fofinho, recuso-me a fazer-te a vontade e a dar-te o prazer de uma discussao nesta pagina sobre o que e ou deixa de ser "xaropada New Age" ou os produtos da mornarquia/republica/colonizacao cultural de bolseiros no estrangeiros.

Para lutas de galos, temos a "Nova Aguia" e os teus blogues:-P ...