O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 21 de abril de 2008

Blasfémias pessoanas e Jean-Yves Leloup, amanhã, 22, sobre a meditação que nos liberta de quem medita

Para quem não tenha nada de melhor para fazer, se queira aborrecer e deixar de perceber o quer que seja acerca de Pessoa, recordo a conferência que farei hoje sobre "A Questão de Deus em Fernando Pessoa". Aí se ouvirão, entre outras blasfémias, coisas como: "Deus existe, com efeito, para si próprio; mas Deus está enganado". Será no Auditório 1 do Edifício 3 da Universidade Católica, pelas 17 h.

O importante é amanhã, 3ª feira, a presença de Jean-Yves Leloup, no Anfiteatro IV da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, pelas 18 h, para uma conferência sobre "O Peregrino Russo: antropologia do hesicasmo e diálogo entre as religiões". A entrada é livre e haverá tradução para português.
"Para João Clímaco, a hésychia não é somente "negação das preocupações racionais", ela é também "eliminação dos pensamentos", no sentido muito amplo do termo. "Não terás a oração pura se estás embaraçado pelas coisas materiais e agitado por preocupações constantes, pois a oração é eliminação dos pensamentos" (De Oratione, 70, P. G. 79, 1181).
Esta ausência de pensamentos é esquecimento de si. Quando a mente está pacificada, o "pequeno eu" desaparece pouco a pouco, abre-se à Alteridade que o funda e repousa-se nela" - Jean-Yves Leloup, Écrits sur l'Hésychasme. Une tradition contemplative oubliée, Paris, Albin Michel, 2003, p.47.

6 comentários:

ἠσυχία [hesykhía] disse...

tranquilidade, calma, repouso, paz, ociosidade, inacção, placidez, doçura, lentidão, silêncio, solidão, retiro, acção de fazer cessar

Anónimo disse...

No Alentejo há uma forte tendência hesicasta !...

A-deus disse...

Obrigado, Pessoa, obrigado ! Obrigado por me libertares do engano ! Dediquei-me à meditação hesicasta e curei-me de pensar que existia ! Converti-me num A-deus ! A-Deus !

porta-voz dos homens desconsolados disse...

Adeus, ó Deus ! Vamos ter saudades tuas ! Que faremos agora !? Não sabemos viver sem ti, porque na verdade não sabemos viver sem nós !...
Volta, o melhor é voltares ! Deixa isso da meditação para os alentejanos !

William Burroughs disse...

"Exterminate all rational thought"

O Homem que Sabia Demasiado disse...

Bom texto. Gostava de poder assistir a essa conferência.