O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 26 de maio de 2008

credo

Acredito na altíssima origem dos reis.

Acredito na encarnação dos augúrios.

E no voo e no pasto dos auspícios.

Acredito no pressentimento dos cães

E nas pessoas cozidas depois de mortas.

Acredito na ritualização das leis.

Acredito na sagração da nobreza.

Acredito nos homens sentados num altar.

3 comentários:

Joana Dalila Santos disse...

Eu não*

N.M. disse...

Em tantos anos de vida acredito no meu cão. Não consigo já acreditar em tanta coisa. Que sorte você tem!

Abraço.

crente disse...

Eu acredito em tudo isso porque tudo isso me acredita. Belo poema !