O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 26 de maio de 2008

ECCE HOMO!


9 comentários:

Joana Dalila Santos disse...

strange...

Ana Margarida Esteves disse...

Parece uma pintura do Lucien Freud na honestidade com que mostra a fragilidade e o sofrimento humano ...

Anónimo disse...

Que quer isto dizer?

Miguel Barroso disse...

"anónimo disse...
Que quer isto dizer?"

sem comentários.

Anónimo disse...

QUE QUER ISTO DIZER?

saudadesdofuturo disse...

Caro anónimo,

É antiga a expressão «Uma imagem vale mais que mil palavras». Não estou completamente de acordo. Mas a ideia era apresentar apenas a imagem na sua força crua e realista. Claro que me impressiona sempre este rosto, pintado por um amigo meu, e que lembra(como bem notou a Ana Margarida), os corpos e rostos de Lucien Freud, um magnífico pintor.
Quando olho para a imagem não posso evitar um choque e um arrepio no coração, Não sei se quiseste dizer que essa imagem não deveria de ser apresentada, ou se pretendes apenas mais informação.
O autor do quadro chamou-lhe Cristo. No post quis sublinhar com as palavras "Eis o Homem", o sofrimento inerente à própria condição humana (o post veio na sequência do desabafo da Margarida e na descrença numa parte da Humanidade...só alguns, claro).
Também a imagem representa, se quisermos, o quanto o corpo pode ser dilacerado, mas não a nossa alma e o nosso ser profundo.
O resto... se a imagem for o Cristo... já deves saber a história.

Obrigada pelos comentários:)

P.S. Não te "maiuscules" tanto, nem te mostres irado. Pois não é caso para isso. A imagem e as palavras deixam espaço à tua leitura e essa é que é válida.

Miguel Barroso disse...

Serpente: subscrevo.

Anónimo: como não tenho por vezes a paciência da Serpente nem fui que fiz o post respondi como quis, sem qualquer ironia ou tentativa de agressão; a segunda pergunta em maiúsculas foi infeliz, pois vem minada e dá azo a que a interpretemos como entendermos. Visto já estar explicado(e bem)pela Serpente que queres mais?

Miguel Barroso disse...

PS - E não te dignes a responder pois gastas tempo e energia, e a preservação do anonimato tem-nos também como alicerces.

Anónimo disse...

O que mais gostaria ainda, era de entrar em contacto com o artista que deu à luz a obra.

Obrigado.