O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 30 de junho de 2008

benjamim constant

"L'ordre est toujours en apparence du coté de la force"

*

"O interesse bem-entendido [o liberalismo] permitiu à vaidade criticar indiferentemente o bem e o mal"

*

"on a ravi au pauvre sa liberté en échange de sa subsistance; on s'est cru bienfaisant, quand sous des verroux on lui donnait du pain"

*

"Le péril a paru, et l'intérêt bien entendu a conseillé d'applaudir prudemment au mal comme au bien: de sorte que sous le pouvoir modéré on s'est montré frondeur, et sous le pouvoir violent on s'est montré servile"

*

"Serviu-se o poder injusto porque o interesse bem ententido não queria que se entravasse a carreira de um filho"

*

As sociedades governadas por esta mentalidade são sociedades em que "cada indivíduo seja o seu próprio centro. Ora, quando cada indivíduo é o seu próprio centro, todos estão isolados"

*

"Amigos da liberdade, não é com tais elementos que um povo a obtém, a funda ou a conserva"

(De la Religion...)

3 comentários:

pensando disse...

A filosofia ressurge... E de qualidade. Bem vinda!

Porque será que isto se aplica tanto aos dias que vivemos?

soantes disse...

Talvez porque os princípios e conceitos principais que regem a vida política e mental de hoje ainda são os mesmos.

parvo disse...

Não! Isso não é verdade! O mundo progride em linha recta e acelerada para a perfeição! Até em Portugal já voltou a haver um rei-filósofo, o segundo, depois de D. Duarte na Idade Média, a realizar o ideal platónico... Só que, devido à sua grande sabedoria e humildade, só se diz primeiro-ministro.