O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 30 de julho de 2008

As ideias i-nova-dora-s nascem de modo inconsciente

O corpo gera a mente, porém, quando esta está ocupada por ideias externas ou por pensamentos conscientes, não recebe as novas ideias criadas a partir do sangue vivo e verdadeiramente suas, não renascendo, permanecendo cega na escuridão das ideias velhas, mortas.

4 comentários:

Paulo Feitais disse...

Eu acho que não nascem. E que só agora reparo neste texto pequeno mas tão pulsátil, pena é que o Verão esteja a fazer-se sentir na vontade de polemizar, embotando-a. Eu acho que o corpo e a mente são como as ideias, também não nascem, talvez sejam nascidos. :)

Anita Silva disse...

nascem... sendo nascidos. :P

Anita Silva disse...

como a onda se forma... sendo formada.

Paulo Feitais disse...

Eh, eh...
Isto já parece a balada dos camarões cozidos (que não me agrada).