O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 26 de agosto de 2008

O vivo sossego dos "beijos merecidos da Verdade"

"Deus criou-me criança, e deixou-me sempre criança. Mas por que deixou que a Vida me batesse e me tirasse os brinquedos, e me deixasse só no recreio, amarrotando com mãos tão fracas o bibe azul sujo de lágrimas compridas? Se eu não poderia viver senão acarinhado, por que deitaram fora o meu carinho? (...)
E tudo espera, aberto e decorado, o Rei que virá, e já chega, que a poeira do cortejo é uma nova névoa no oriente lento, e as lanças luzem já na distância com uma madrugada sua. (...)
Surge dos lados do oriente a luz loura do luar de ouro. O rastro que faz no rio largo abre serpentes no mar.

Dominámos outrora o mar físico, criando a civilização universal; dominaremos agora o mar psíquico, a emoção, a mãe temperamento, criando a civilização intelectual."
Bernardo Soares, "Livro do Desassossego"

10 comentários:

Anita Silva disse...

Pelo verdadeiro intelecto, o que interliga, o sentido.

Anita Silva disse...

"Há uma música do povo" - cantada por Mariza...

"Sou uma emoção estrangeira,
Um erro de sonho ido...
Canto de qualquer maneira
E acabo com um sentido."
Fernando Pessoa

Anita Silva disse...

http://br.youtube.com/watch?v=BdHbQBvgyQ0

Anita Silva disse...

"Sim: existo dentro do meu corpo.
Não trago o sol nem a lua na algibeira.
Não quero conquistar mundos porque dormi mal,
Nem almoçar a terra por causa do estômago.
Indiferente?
Não: natural da terra, que se der um salto, está em falso,
Um momento no ar que não é para nós,
E só contente quando os pés lhe batem outra vez na terra,
Traz! na realidade que não falta!"
Alberto Caeiro

Fernando Pessoa disse...

Tanto Pessoa já enjoa...

Anita Silva disse...

é verdade, é um chato, nem morto se cala...

Bahh

Cale-se-me!

fernando pessoa disse...

Passei a vida de mim enjoado... Jamais pensei ser o alter-ego de tanta gente!...

Anita Silva disse...

É essa coisa do que se pensa ser às vezes engana...

fernando pessoa disse...

Pelos vistos só tenho feitio para desmancha-prazeres... primeiro de mim e agora dos outros... Falta de jeito para viver... O talento foi todo para o sonho e a poesia.

Anita Silva disse...

deixe lá, não se apoquente... de tanta gente que por cá passa na terra é só isso que persiste.