O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 28 de outubro de 2008

0301788527693533750332
Perfil... não disponível
O perfil do Blogger que solicitou não pode ser apresentado
.
Muitos utilizadores do Blogger ainda não decidiram partilhar publicamente os seus perfis.
Se é um utilizador do Blogger, aconselhamo-lo vivamente a activar o acesso ao seu Perfil.
Casos típicos sem comentário... anónimo, começam dum modo insultuoso. Permite o debate? Não!
Anónimo, lerá isto? Não sei nem me interessa.
Quem torna o perfil anónimo é pessoa de coragem e aberto ao diálogo e à procura da verdade?
Desde Constantino, que tornou o Cristianismo a Igreja Oficial do Estado... o que passou a ser o Cristianismo, qualquer que seja a sua «variante»?
Qual a verdadeira face das cruzadas e do colonialismo?
Ainda acreditam nas histórias da Maga Patológica ou da Fada Madrinha?
Deixo-vos a reflexão e a resposta,
Vergílio Torres
...Porque estou na Blogosfera

29 comentários:

De Regresso de Basiléia disse...

Anónimo, só porque tu existes, voltei! Voltei!
Nos cantões não há alegria, não há vernáculo... só há trabalho... só há trabalho... só há trabalho... e há bons queijos...
Aqui escreve-se com humor e rimos, damos gargalhadas. Muitas! A vida é uma embriaguez que, às vezes, nos faz, nas estradas a direito, virar à esquerda ou à direita. Ou voltar para trás. Foi o que eu fiz. Por isso vou ler o texto: "O Bosque" e depois os "Arquétipos", todos! E por adiante...

Ana Margarida Esteves disse...

Este anonimo tem um estilo tao inconfundivel que la se vai o anonimato:P ...

Lembram-se, meninos e meninas?

Vergilio Torres disse...

Ana, paciência precisa-se!

E a resposta deste "anónimo utilizador"... ficará aqui bem expressa, como evidente forma da indecência.

Essa liberdade anónima... contínua provocação sem rosto, máscara de Arlequim com bicho-carpinteiro...

A todos muito boa noite.
Os lesados acabarão por, lentamente, abandonar este caminho.

Saude!

Ficarei à espera de um anónimo que me diga adeus...

chelapor disse...

Imisto!

Teodorico de Mendes Sepúlveda Júnior disse...

Píndaro roubou a ovelha do seu campo santano ou se quiserem levou muito por pouco no alcance da sua monotonia... Sabiam deste osso na cúspide do caroço!? Pois se não, alcatrão!

sinalonho disse...

Evento-me!

Jessica Athayde disse...

Concordo inteiramente contigo, Vergílio!
Tens o meu apoio incondicional.
Não percebo porque é que as pessoas usam máscaras!
Eu dispo-me de tudo. Toda a gente sabe quem sou... até as últimas fotografias que tirei em lingerie, estão aí num jornal de grande tiragem. Uns senhores até já me telefonaram a dizer que eu estava muito bem. Assim é que é. Mostrar tudo... o nome, o corpo, e assim... E eu gosto.

Ai, estes anónimos!?! Rrsss

Beijinhos Vergílio

J.A.

intempestivo disse...

Querem castrar este blogue!? Anónimos e pseudónimos somos todos, por mais nomes com que ridiculamente nos identifiquemos! Vão moralizar para outro lado! Isso é p'rós tacanhos da Velha Águia!

Repressão só a da Rita Cardoso, que à força de meter para dentro faz saltar tudo para fora.

Anónimo das 11.40 disse...

Entre o Fernando Pessoa, o Álvaro de Campos, O Ricardo Reis e o Bernardo Soares, qual seria o mais verdadeiro?

Afinal esta politica também chega a este blogue!

Anónimo disse...

A Blogosfera entedia-me: gosto mais do Nosferatu.

Tino de Rãs disse...

Vergílio, este teu post faz-me lembrar a minha intervenção no Congresso do PS quando o Guterres era 1º. Ministro. E eu queria ser Presidente! Ainda não percebeste como é que funciona este blogue, como eu não percebia como funcionava o Partido. Olha ... achei tanta piada ! O que eu me ri...
Naquela altura todos se riram de mim ... lembras-te?
A vida é mesmo assim: diversão!


Sempre bem-vindo, Camarada!

Ass.: Tino de Rãs

Cláudia Neta disse...

Parece que as ideologias da restrição e da castração também já chegaram à Serpente Emplumada onde o pessoal parecia diferente a deslizar num baile de máscaras, por vezes num jogo semivelado, onde alguns até se adivinhavam no escuro só pelo jeito e o modo de dizerem as coisas! Começo a sentir-me desiludida com a web! Eu que pensei encontrar um mundo mais plástico, diferente da vidinha "tal como ela é", onde com mais facilidade se podia "ser tudo de todas as maneiras", usar máscaras e abusar das metamorfoses, com liberdade de ser apenas a interrogação, a tempestade, a lágrima, a parvoíce que falam por si sem o suporte de nenhum perfil psicológico, de nenhum desenho figurativo que as justifique. Posições semelhantes às do Vergilio Torres, já as encontrei noutras pessoas com blogues onde se deixou de poder entrar livremente, onde para fazer um comentário se tem que entrar "devidamente identificado" e onde se chama cobarde, com "falta de carácter" aqueles que se sentem bem "incógnitos" e "mascarados" que pode ser o mesmo que dizer, livres de um perfil inalterável e assumindo a contradição e a multiplicidade que lhes é própria. Há quem defenda uma "urgente legislação" neste "novo mundo virtual" e consideram desprezíveis aqueles que se manifestam incognitamente pois talvez não saibamos receber um insulto que é apenas um insulto (que não tem necessariamente de vir de ninguém) e um modo de sentir em bruto sem a lima do "profissionalismo", da moral e dos pressupostos de uma imagem a preservar.

Quem é Manuelino, por exemplo? Tem de ser alguma coisa mais que ele próprio, aqui, neste contexto? E Jessica Athayde? Jessica Athayde é Jessica Athayde naquele momento, depois pode até ser uma boa dona de casa, ou mesmo um homem! E o Intempestivo? O intempestivo é aquele clima!

Saudações Virgílio Torres, mas a minha posição é extrema e oposta embora seja tão válida como a sua. Da parte que me toca, defendo o anonimato, as máscaras, os vernizes, a maquilhagem, os saltos altos e as coisas um tanto pirosas e creio que as máscaras muitas vezes são muito mais verdadeiras que a "verdade".

Maria Cláudia Alves Neta (O nome "verdadeiro"!)

Anónimo disse...

Eu anonimo, me confesso... nao partilho o meu perfil na blogosfera, nao digo que cor de cuecas vesti de manha, ao lado de quem acordei, o que como para o pequeno almoco, de quem gosto, de quem nao gosto...
A unica coisa que posso denunciar e' provavelmente nao estar em Portugal, pois o meu teclado nao tem acentos - tao essenciais na nossa forma de comunicacao escrita e tao dispensaveis aqui, onde estou, por questoes pragmaticas.

A coragem e a verdade e' a mesma que deixa cair um papel de 4 em 4 anos, em nome da Igualdade, Liberdade e Fraternidade.
Ninguem pede para assinar o dito "papelinho" e quem o faz, tem o voto nulo.
Se isso e' assim no sistema politico mais "justo", porque nao na blogosfera, onde cada, imaterial, partilha as suas ideias, opinioes... manda umas bocas, mas dentro da totalidade do seu ser.
Nao sera' esta a verdade?

Coragem?... Mas coragem porque?
Quereremos nos comecar a criar um "star system" neste tipo de ambiente? Eleger "campeoes"?
Para que? Para lhes erguer uma "estatua virtual" no meio da "praca central", da Aldeia Global?...

Caro Vergilio, relaxe. Tire o fato de trabalho e o fardo do dia a dia.
Calce as pantufas e visite uma loja com mobiliario simpatico e compre uma boa cadeira.
Relaxe, a serio.

A web nao e' uma enciclopedia, embora ate' possa conte-la.
As pessoas sao pessoas.... como em todo o lado.
Sera' que prefer conhecer toda a gente com quem comunica face a face.
Precisa de comunicar com os olhos, tambem? Gosta de estar atento aos sinais corporais?
Se assim e'... entao talvez o melhor nao seja repensar o que e' ser-se virtual.
E de qualquer forma, o que lhe diz que uma pessoa esta' 'a sua frente de sorrisos e olhares e nao esta' a ser cinica?
Nao sera' isso tambem um anonimato dissimulado e em presenca?
Se assim nao fosse, entao para que tantas obras a falar de desgostos de amor e traicoes?

A verdade e' alguma coisa que esta' ou nao na pessoa e nao e' um nome ou um perfil, que a poe em causa.

Agora se o Vergilio e' uma pessoa curiosa, cautelosa... se gostaria de saber quem esta' do outro lado... isso e' diferente?
Mas poderia nao ser anonimo e tambem dizer-lhe tao pouco, que ficaria na mesma, ou poderia dar-lhe a sugestao que era uma coisa, que nao sou...
Por isso sou anonimo.

Va' la'... nao se chateie e faca aquilo que acha que e' o melhor.
Se todos agirmos assim e com respeito, nao e' um nome, um nickname ou uma cara, que fazem a diferenca.

Um abraco anonimo

anónimo 1º, o das 18:58 disse...

ó ana margarida esteves, pá, pelos vistos o anonimato tem muita parecença com o próprio anonimato, que tu até pensas que eu (lol, "eu"!) sou um anónimo tal, x ou y inconfundível que, pelo visto, confundível é.
é que eu até anonimizo, raramente sou notada quando anonimizo e não sou com certeza esse alguém que perante ti, imagino, tenha anonimizado de forma para ti marcante.
mas, pá, essa do vergílio foi foleira e não me contive em nome do anonimato, pois claro.

ó anónimo, inconfundível que és, queres vir confraternizar comigo para nos tornarmos mais confundíveis e confundirmos a malta toda?

Jessica Athayde disse...

Força Vergílio!
Depois de tanta tareia, não desistas!
Sou boa. Estou contigo!

Ana Margarida Esteves disse...

Nao fui eu que escrevi o post do anonimo. Ha mui@s Tugas no estrangeiro a escrever em teclados parecidos ao meu. Porque carga de agua haveria de ser eu a autora desse comentario, eu que nunca escrevi como anonima?

maria disse...

Que confusão de narizes com tanto anonimato, amiguinhos! Afinal não nos estamos a adivinhar! Estão a ver! O Vergilio é que tem razão! Razão e talento! Não é por eu agora ser de outro partido que lhe retiro valor!

Armada em Esperta disse...

Ó Maria, tu também já não enganas ninguém! Afinal, qual é a tua posição? Defendes ou não, o anomimato? Eu também sou Maria, querida! No B.I.!! Vês, que grande confusão!

Ass.: Maria (não sei das quantas).

maria disse...

Mas desde quando é que a ideia é enganar alguém? Somos as duas "Maria", um nome base, a única diferença é que talvez tu sejas esperta e eu não! À partida a minha posição é assumidamente oposta à do Vergilo Torres.Não quer dizer porém, que ele não esteja certo, a seu modo!É tudo muito parcial. Pode ser é bem argumentado! Gosto mesmo é de ser livre, com ou sem perfil! Esquece isso, amiga. Nada disto é muito importante.

Maria Cláudia

Anónimo disse...

Pois... teclados 'a muitos...
E ja' ca' ando 'a uns anitos... afinal o teclado e' igual ao de quem?
Se calhar o seu teclado e' que e' igual ao meu!

Mas para que tanta discussao, num assunto sem qualquer solucao 'a vista?
Quem e' quem?... Nao interessa.

Somos todos bons e maus. 'As vezes acordamos mais para um lado, do que para o outro.
Ora estamos todos uns com os outros, ora estamos todos sozinhos...

"O que e' que isso interessa? Nada..." - Adolfo Luxuria Canibal

Eu tambem estou com Vergilio e indissociavelmente ele tambeme esta' comigo, com as Marias e todos os outros. Senao nao estariamos para aqui a trocar palavras, nao?
Estamos todos uns com os outros, ate' ao dia em que somos "reclamados" ao anonimo po'.

Abraco anonimo

Magalhães@@@pc disse...

Já viram, até eu tenho nome de gente! ... Vejam lá se me encontram nalgum lado? @@@.vossosamiguinhos@@@pc
Se o Constantino fosse vivo... como é que ele me castigaria? Com uma Bula?
Como é que se excomunga um pc?

Fada Madrinha disse...

Querido afilhado,
Depois de tanta confusão a Madrinha já guardou uma abóborazinha para ti e um folar da Páscoa, para o Dia das Bruxas e para o dia do Senhor! Para o Natal não tenho nada!
Tu tens que aprender a brincar, afilhado... Não leves a vida tão a sério! A Madrinha já to disse tanta vez...
Ai, querido afilhado, queria tanto dar-te um beijinho...

A Madrinha

O.Wilde disse...

Depois de uma boa refeição,
pode-se perdoar a toda a gente, até aos parentes mais próximos.

O.Wilde disse...

Gosto de teatro. É muito mais real do que a vida.

Anónimo disse...

Oh, deuses, zangaram-se as comadres! Bela intriga. Quem não aguenta comentários que escreva o seu diariozito e o tranque com cadeado.
Já cá faltavam os narcisos e os pigmaleões! Haja pachorra...

Muito Distraído disse...

Com isto aqui mesmo ao lado... e ando eu a perder tempo na Nova Águia!!

ermengardo cladivaster disse...

As insónias aumentam, as crises nervosas multiplicam-se, a visões são frequentes e verdadeiros milagres se consumam. Aguardamos qualquer coisa, não sabemos o quê.
Recebo a visita de um rapaz.
- O que tenho de fazer para dormir tranquilo?
- O que aconteceu?
- Palavra que não sei, mas ganhei terror ao meu quarto e amanhã...
- O que te aconteceu, rapaz ateu e realista?
- Com mil diabos! Mal abri a porta para entrar, de noite, alguém me agarrou pelo braço e o sacudiu.
- No teu quarto estava outra pessoa?
- Não! Acendi as velas e não vi ninguém.
- Alguém há que não podemos ver à luz das velas…
- Mas quem?
- O invisível rapaz! Já tomaste sulfonal, brometo de potássio, morfina, cloral?
- Já experimentei tudo!
- Mas o invisível não arreda pé… Queres dormir tranquilo e vens perguntar-me como? Escuta: Não sou médico nem profeta, não passo de um velho pecador em penitência. Não peças sermões ou profecias a um bandido a quem não chega o tempo para fazer sermões a si próprio. Também padeci de insónias e depressões, lutei corpo a corpo com o invisível e acabei por reconquistar o sono e a saúde. Sabes como? Adivinha!
O rapaz adivinha e baixa o olhar.
- Adivinhaste!! Agora vai em paz e dorme bem!
Tenho que me calar e deixar que os outros adivinhem. No instante em que assumisse o papel de irmão de pecadores, eles afastar-se-iam de mim.

August Strindberg, Inferno, XX – Em que direcção a que fim?

Anónimo disse...

Grande Strindberg!

Luiza Dunas disse...

Vergílio,
Os mundos em que vivemos - isto é, o modo como nos ligamos às coisas -são tão diversos e impermanentes que o estarmos na blogosfera nem sequer é algo que temos em comum. A única coisa em comum é o Encontro. E aí os nomes e /ou as máscaras não interessam para nada.