O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 31 de janeiro de 2009

st

3 comentários:

Anónimo disse...

novo céu, velha terra?

frAgMenTUS disse...

havia necessidade de purificação...de tempos a tempos, a natureza precisa de se renovar para fluir na sua essência + genuína, por isso, o fogo da terra elevou-se, e fez-se nuvem...e os tons de intenso laranja em mescla de discreto azul encantaram o céu, deixando vestígio na terra...

foto soberba! :)

Isabel Santiago disse...

Queria dizer que não vou poder irno barco, fui atrás deste céu.

E, se não temesse não ser percebida, diria só: sp (sem palavras).

Fecho prolongadamente os olhos para agradecer esta demorada suspensão do tempo.