O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 31 de agosto de 2009

arqueologia poética

seguramente com mais de 30 anos
de quando não sonhar
era mais escandaloso do que sair à Rua
de cuecas
:

É Preciso

é preciso arrombar uma porta
é preciso inventar um caminho
é preciso uma leira cavada na horta
é preciso uma acha de fogo de azinho

é preciso um canhão da certeza de tudo
é preciso uma seara de raiva nos dedos
é preciso outro mundo outro mundo outro mundo
sem brechas nem bruxas nem monstros nem medos

9 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Arqueologia poética... ou poesia arqueológica?!... JCN

saudadesdofuturo disse...

Amigo Platero,

Hoje, talvez mais do que nunca (que sei eu?) é preciso e urgente, "outro mundo, outro mundo,outro mundo...". Muito bem assinalado.
Se, para que isso seja possível, for necessário "escavar", pois sejamos arqueólogos!

Arqueólogos do sonho, poetas de pá e picareta.

Um abraço.

platero disse...

saudades

isto é da nossa fase RODAPÉ.
Anda por aqui tudo à molhada, muita coisa já mesmo foi à vida.
Não se perde muito, é certo. Mas não deixa de ser uma coisa nossa.
Beijinho, bom trabalho

platero disse...

JNC

como o meu amigo entender. Poesia arqueológica?
como gostaria que fosse uma Vitória de Samotrácia
abraço

João de Castro Nunes disse...

Exactamene como Ela é, sem tirar nem pôr! Mas... que tem a ver?!... jcn

Anónimo disse...

Idade mental: 10 anos.

João de Castro Nunes disse...

Estamos... em paridade! JCN

Fauna disse...

É preciso que se calem!

João de Castro Nunes disse...

Dê o exemplo! JCN